sábado, 18 de novembro de 2017

A escola Municipal Olívio Ribeiro Campos contou com as ações do 'Apenas Ame'

O projeto ‘Apenas Ame’ aconteceu neste sábado (18) em João Pessoa. Na ação, 63 bairros da capital  receberam ações sociais realizada por voluntários. Ao todo, mais de 11 mil pessoas participaram do evento.

Grandes grupos ocuparam bairros e realizaram diversas atividades. Entre os serviços: cuidados com odontologia para as crianças, distribuição de cestas básicas, reforma em escolas, atividades com crianças e de valorização de professores.

Na escola Municipal Olívio Ribeiro Campos, Bairro dos Bancários, as atividades foram desenvolvidas com muito êxito e envolvimento de toda comunidade escolar. Para a gestora da unidade,  Lygia Fernandes " o projeto é inovador, dinâmico e que sem dúvida, o amor e o cuidado são ferramentas que unem as pessoas em qualquer parte do mundo, é a responsabilização e o envolvimento afetivo com o outro. Estamos muito felizes pela inclusão da nossa escola ao projeto", afirmou.

O ‘Apenas Ame’ foi iniciado na África, quando uma missionária abraçou uma pessoa, e percebeu que o amor era uma ferramenta para alcançar as pessoas. Nasceu com o objetivo de amar o próximo como a si mesmo, parando para ouvi-lo, entendendo as suas dores e sua alma, valorizando as suas qualidades e princípios e amando todos os seus defeitos, percebendo sua vida, amando quem ele é como alguém único, afinal, quando se ama de modo profundo e puro, ninguém passa despercebido.


Ações na escola Municipal Olívio Ribeiro Campos 















 



Fonte: Blog Direitos Violados

domingo, 5 de novembro de 2017

UFPB concede título de doutor honoris causa ao professor Dermeval Saviani


O filósofo e educador Dermeval Saviani recebe da Universidade Federal da Paraíba nesta terça-feira (7), às 17h, no auditório da Reitoria, o título de Doutor Honoris Causa.  A entrega da mais importante honraria do mundo acadêmico a Saviani é motivada pela sua extensa produção voltada ao campo da educação, com um pensamento crítico, comprometido com a defesa do ensino público, gratuito e de qualidade, por uma sociedade mais justa e igualitária.


A concessão do título foi propositura do professor-doutor Jorge Fernando Hermida Aveiro, do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), em setembro deste ano e aprovada pelo Conselho Universitário (CONSUNI) da UFPB, através da Resolução 07/2017.

Aberta ao público em geral, a solenidade de outorga será presidida pela Reitora da UFPB, professora Margareth Diniz. A mesa será composta pelos professores-doutores Wilson Honorato Aragão, Jorge Fernando Hermida Aveiro e Marcelo Sitcovsky. Vão integrar a Comissão de honra os professores-doutores: Rita de Cássia Cavalcanti Porto, Antônio Carlos Ferreira Pinheiro, Swamy de Paula Lima Soares e Severino Bezerra da Silva. Já o discurso panegírico (elogio solene) será feito pelo professor Jorge Aveiro.

Natural de Santo Antônio de Posse (SP), neto de imigrantes italianos e filho de trabalhadores rurais, mas que depois se transformaram em operários industriais, o professor Dermeval Saviani iniciou sua formação na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Aos 73 anos de idade, ele tem exercido incontestável influência na formação de educadores das universidades e do Brasil, comprometidos com a defesa da democracia da educação, através dos postulados da sua Pedagogia Histórica-crítica, que considera o conhecimento e o saber escolar como patrimônio da humanidade a serviço da sua própria emancipação.

Em sua trajetória como filósofo e educador, Dermeval Saviani recebeu a “Medalha de Honra ao Mérito Educacional”, do Ministério da Educação em 1994 e o “Prêmio Zeferino Vaz de Produção Científica” em 1997; o título de “Professor Emérito” da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e de “Professor Emérito” do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ); foi vencedor dos “Prêmios Jabuti” – 1º Lugar em  2008; e 2° Lugar , nos anos 2014 e 2016. O conjunto da sua produção literária reúne cerca de 20 obras, escritas individualmente e associado com outros autores.

Fonte: Agência de Notícias da UFPB - Paulo César Cabral com informações da Coordenação de Cerimonial

Candidatos do Enem relatam prova cansativa e dificuldade em abordar tema da redação

A edição 2017 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começou a ser aplicada neste domingo (5), em todo o Brasil. O repórter Rammom Monte, do Portal Correio, no papel de estudante, prestou a prova nas dependências da Faculdade Maurício de Nassau, na Avenida Epitácio Pessoa, na Capital, e, em contato com outros candidatos, pôde extrair algumas impressões sobre o exame aplicado.

Segundo o jornalista, a prova, composta por 90 questões, foi muito extensa, sendo necessária muita interpretação de texto. Dentre os principais temas abordados nos enunciados, Rammom destacou situações que envolvem discussões acerca dos Direitos Humanos. Assuntos relacionados ao Regime Militar também tiveram espaço na prova.

“Sobre a redação, eu fiquei ouvindo os alunos discutindo quando eu saí. Muita gente com dificuldade em como escrever, pega de surpresa”, contou o repórter. O tema da redação do Enem deste ano foi Desafios para Formação Educacional de Surdos no Brasil.

O jornalista também avaliou a dificuldade da prova: “Para quem estudou, para que está preparado, a prova é tranquila, não é uma prova difícil, é só cansativa. Acho até que me saí bem, depois de 10 anos sem tocar em um livro de ensino médio”, concluiu. 






Fonte: Portal Correio

AAI/UFPB anuncia bolsas de estudo na Turquia

A Assessoria para Assuntos Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (AAI/UFPB) informa que a Embaixada da Turquia em Brasília recebe candidaturas de estudantes brasileiros para bolsas de graduação, mestrado e doutorado.

As inscrições estão abertas no período de 1 e 30 de novembro de 2017 e deverão ser formalizadas por meio do site www.turkiyeburslari.gov.tr (link is external). Os candidatos devem enviar a documentação necessária no sistema de candidatura do site.

Os interessados podem manter-se informados pela página da Embaixada (link is external), do Facebook (link is external) e do Twitter (link is external). A AAI/UFPB também orienta os estudantes da UFPB, pessoalmente, na sala ao lado do gabinete da reitoria, no campus I.



Fonte: ASCOM/UFPB

Unipê apoia musical promovido pelo TJPB

O Centro Universitário de João Pessoa – Unipê está apoiando o Musical “Um Toque de Paz”, evento promovido pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio do seu Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, em homenagem aos cinco anos de criação do NUPEMEC. A atividade será realizada na próxima terça-feira (7), a partir das 19h30, no Theatro Santa Roza. A entrada no evento é gratuita e restrita a convidados.

O Grupo de Teatro do Unipê participará da atividade com a apresentação da peça “Um Sonho de Justiça”. A peça narra, de maneira bem humorada, a história de Willian e Fátima, que vão tentar resolver um conflito através de uma conciliação.

O texto é de autoria do Dr. Antônio Carneiro de Paiva Júnior, diretor adjunto do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TJPB, que convidou o Grupo de Teatro do Unipê para encenar esse trabalho, que será dirigido pelo prof. Ricardo Canella.

Segundo o prof. Canella, alguns aspectos narrados pelo juiz sobre o dia a dia em uma sala de audiência foram incluídos na apresentação, dando mais historicidade às personagens e acrescentando outras personagens para enfatizar o enredo central.

“O sentido é que a Justiça proporcione uma relação mais humanizada com a sociedade. Como diz o convite para essa homenagem, há hoje a busca de um olhar mais atento da Justiça para os dramas que permeiam as entrelinhas dos autos processuais. Nesse sentido, o objetivo é firmar um compromisso com os sentimentos e com os sonhos das pessoas que buscam o Judiciário”, disse o prof. Canella.

Programação do evento:
19h30: Recepção
20:00: Abertura
20h15: Apresentação: Poeta Oliveira de Panelas
20h30: Apresentação Musical: “Quinteto a Sanfonada”
21h00: Apresentação Teatral: “Um sonho de Justiça”
21h30: Homenagens Especiais
21h45: Encerramento com “A Sanfonada”

Serviço
Musical “Um Toque de Paz”
Data: 7 de novembro
Horário: 19h30
Local: Theatro Santa Roza


Fonte: ASCOM/UNIPÊ

Dia Nacional da Cultura é celebrado com várias atrações no Centro Histórico da Capital


Música, teatro, dança e artes circenses para comemorar o Dia Nacional da Cultura animaram o público que visitou o Centro Histórico da Capital neste domingo (5). As atrações aconteceram nos principais pontos turísticos da cidade e agradaram crianças, jovens e adultos.

O evento foi promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da por meio da gestão e planejamento de eventos e Fundação Cultural (Funjope).  Na programação deste domingo teve espaço para a arte circense ao ar livre na Praça da Independência. A trupe Engenho Imaginário apresentou o espetáculo ‘Picadeiro Imaginário’, ganhando a atenção dos pequenos com as trapalhadas dos palhaços e músicas infantis. A dona de casa Maria Rita Pereira revelou que a praça é o local preferido das filhas para brincar ao ar livre. Na tarde deste domingo (5), o passeio foi mais animado e contou com a presença dos primos.

“Sempre trago elas aqui para brincar porque é bem arborizado, não tem perigo de brincar na bicicleta, correr. Com esse teatro de hoje foi melhor ainda”, destacou a dona de casa.


Para quem gosta de artes plásticas, a programação do Dia Nacional da Cultura começou com a exposição ‘Expansão’, do artista visual Martinho Patrício, no Casarão 34, além de mostras no Centro Cultural Casa da Pólvora. Neste último local, o projeto ‘Pólvora Cultural’ foi especial com a dança do grupo ‘Maracatu Pé de Elefante’ e ainda com o som das bandas Rieg e Primeira Estrada.

As amigas Rosa Amélia e Talita Barbosa estavam entre os que prestigiaram o Pólvora Cultural e aproveitaram para conhecer o novo ponto de cultura da cidade. “Ainda não tinha vindo aqui depois da reforma e achei maravilhoso. Esse tipo de evento é bom para estimular a cultura na cidade, principalmente no Centro Histórico”, disse Talita Barbosa.

No Parque da Lagoa, que tradicionalmente já é um ponto de encontro dos pessoenses e visitantes da cidade aos finais de semana, as atrações se estenderam até a noite, também com grupos de música, teatro e dança. Entre os participantes que animaram a tarde estava o grupo Ciranda do Sol, que convidou o público a participar do espetáculo da cultura popular.

“Foi muito bom a Prefeitura ter dado espaço para nós que fazemos cultura popular e lutamos para manter a tradição de danças como a ciranda, que faz parte do nosso folclore, da nossa história”, comentou a cirandeira Jacinta de Lourdes das Graças.

A programação no Parque da Lagoa contou ainda com o grupo Coco de Roda Novo Quilombo, Show de Palhaços da Cia Arretado e do espetáculo ‘Somos Guerreiros e Jamais Fugimos da Guerra’, da Cia de Dança Harmonia do Swing e show com o rapper Pertnaz. Além da dança e da música, o cinema também teve espaço na celebração da cultura, com exibição de filmes no Parque da Lagoa e também no Hotel Globo.




Fonte: ASCOM/PMJP

Curso de Preparação Psicossocial e Jurídica para adoção será realizado nos dias 7 e 8 na Esma

Coordenadoria da Infância e da Juventude da Capital vai realizar, nos dias 7 e 8 de novembro, o Curso de Preparação Psicossocial e Jurídica, que acontecerá na Escola Superior da Magistratura (Esma). O evento, que é destinado às pessoas habilitadas no processo de adoção, contará com a participação do coordenador da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça da Paraíba, juiz Adhailton Lacet Porto.

A formação tem como objetivo preparar os pretensos pais adotivos com informações sobre os aspectos importantes que envolvem o processo de adoção, dirimindo as dúvidas dos requerentes sobre o instituto da adoção e suas etapas. Serão abordadas questões sociais, psicológicas, pedagógicas e jurídicas. No encontro, também será trabalhada a adoção tardia ou necessária, que contempla as crianças e adolescentes efetivamente disponíveis à adoção: adoções inter-raciais, de crianças maiores ou de adolescentes com necessidades específicas de saúde ou com deficiências, além de grupos de irmãos.

A preparação para Pretendentes à Adoção, que faz parte dos pré-requisitos obrigatórios previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA/1990), para qualquer modalidade de adoção, está sendo organizada na Comarca de João Pessoa pela equipe interprofissional do Setor de Adoção da 1ª Vara da Infância e da Juventude da Capital, que tem como coordenadora Maria Goreti Dantas Abrantes. Integram, ainda, a equipe a pedagoga Ana Paula Alves de Melo, a assistente social Lidiene Silveira Marinho e os psicólogos Carolina Costa Lins, Miucha Lins Cabral e Thomaz Fernandes Rocha.

Até o momento, um total de 98 pretendentes já está inscrito para participar do Curso de Preparação Psicossocial e Jurídica. Podem se inscrever, além das pessoas habilitadas em processos de adoção, pretendentes de outras comarcas, por solicitação do Juízo.

A formação terá carga horária de 16h ao longo de dois dias (07 e 08/11), envolvendo palestras, relatos de experiências, exibição de material audiovisual e oficinas. Além do juiz Adhailton Lacet, participarão do evento a juíza Israela Cláudia Pontes de Azevedo, da 1ª Vara da Fazenda e mentora do Instituto Primeiro Olhar; a defensora pública Klébia Ludgério e a promotora da Infância e da Juventude do Ministério Público da Paraíba, Soraya Escorel.

O juiz Adhailton Lacet Porto ressaltou que o curso visa formar os pretendentes à adoção de forma jurídica e psicológica, para que eles possam pleitear uma ação de adoção, de forma a garantir o interesse da criança e do adolescente, dentro da doutrina da proteção integral, preconizada pela Constituição Federal. “O curso de adoção representa o pré-natal daquelas mães que pretendem ter um filho do coração”, enfatizou o magistrado.

Com esse mesmo objetivo, a 7ª Vara Mista da Comarca de Sousa, que tem à frente o juiz Jeremias de Cássio Carneiro Filho, realizará, também, o Curso de Preparação Psicossocial e Jurídica para os pretendentes à adoção naquela Comarca. O evento vai acontecer no dia 22 de novembro.



Fonte: ASCOM/TJPB

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Alunos do projeto Ação Social pela Música se apresentam na Igreja São Mateus


Os alunos do projeto Ação Social pela Música – Núcleo João Pessoa (ASMJP) realizam mais uma apresentação nesta quinta-feira (21). Desta vez, a orquestra B da Unidade 1, no Alto do Mateus, faz sua estreia na Igreja São Mateus, às 17h, durante as festividades da igreja do bairro.

Regida pelo maestro Héctor Rossi, regente titular da Unidade 1 e diretor artístico da ASMJP, a orquestra composta por 30 instrumentistas vai executar pequenas melodias de cordas soltas como ‘Hilarity’ (Norman Ward) e ‘Meu Lanchinho’ (‘Frére Jacques’, atribuída ao compositor francês Jean-Philippe Rameau).

Segundo Héctor Rossi, esta apresentação é a grande oportunidade das crianças mostrarem seu aprendizado em tão pouco tempo. “É bom para a autoestima das crianças, para os pais, que poderão ver seus filhos no palco, para familiares, amigos e vizinhos do bairro que estarão presentes. A família está crescendo e o projeto Ação Social pela Música continua no caminho certo”, disse o maestro.

A unidade de Mangabeira já inaugurou sua segunda orquestra e agora com a estreia da orquestra B do Alto do Mateus ampliam a quantidade de equipamentos musicais do projeto Ação Social pela Música. Em breve serão apresentados à comunidade o Coral Infanto-Juvenil da Unidade 3 (Casa da Pólvora) e a Orquestra de Flautas Doces da Unidade 4 (Gervásio Maia), uma das poucas existentes no Brasil.

Projeto – O projeto Ação Social pela Música – Núcleo João Pessoa, é patrocinado pela empresa Cielo e tem parceria efetiva com a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através de sua Fundação Cultural (Funjope). O projeto atende 150 crianças e adolescentes nas unidades do Alto do Mateus e de Mangabeira, onde aprendem a tocar instrumentos de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo). Os dois novos polos, no Gervásio Maia e no Varadouro (Casa da Pólvora), inaugurados em agosto, já estão atendendo 120 alunos com aulas de flauta doce e canto coral.




Fonte: ASCOM/PMJP

sábado, 6 de maio de 2017

Abertas inscrições de prêmio educacional para professores de escolas públicas

Intuito é resgatar iniciativas públicas de professores
Os professores de educação pública do Estado da Paraíba poderão se inscrever até o dia 31 de maio no Prêmio de Educação Fiscal promovido pela Associação dos Auditores Fiscais do Estado da Paraíba (Afrafep), lançado em João Pessoa em parceria com diversos órgãos integrantes do Programa de Educação Fiscal do Estado.

Serão premiados os três melhores projetos desenvolvidos por professores de escolas e universidades públicas com o valor de R$ 2 mil para cada um deles selecionados pela Comissão Julgadora, formada pela Receita Estadual, Secretaria de Estado da Educação, Delegacia da Receita Federal em João Pessoa, Controladoria Geral da União e o Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Paraíba, Receita Federal.

O formulário de inscrição da primeira edição do Prêmio Afrafep de Educação Fiscal já está disponibilizado e segue até o dia 31 de maio de 2017. A inscrição será realizada, exclusivamente, via internet. O regulamento completo com o universo da abrangência, o cronograma, as temáticas e a forma de preenchimento estão também disponíveis no link da Afrafep. 

Segundo o presidente da Afrafep, Alexandre José de Lima Sousa, a ideia de lançar o prêmio é no intuito de resgatar iniciativas públicas de professores em sala de aula com foco em projetos de educação fiscal na educação básica e também universitária. 

“Vamos premiar de forma igual os três melhores projetos desenvolvidos por professores com o valor de R$ 2 mil. Esses vencedores já estarão inscritos automaticamente para concorrer ao Prêmio Nacional de Educação Fiscal da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite), que tem prêmio de R$ 15 mil. Ao somarmos esforços junto com outras entidades e órgãos do Estado, formamos um grande movimento educativo e estamos contribuindo para a construção de uma sociedade melhor por meio do poder transformador do conhecimento”, informou.

O prêmio de Educação Fiscal da Afrafep destacou que diversos órgãos na Paraíba têm empreendido “esforços na busca da conscientização e da formação de um cidadão mais participativo, que questiona, que seja capaz não somente de se indignar, mas, sobretudo, de fazer a sua parte na melhoria da realidade social a sua volta. É reconhecido o trabalho realizado pela Secretaria de Estado da Receita, que desde 1996, dissemina a temática cidadania fiscal, em parceria com diversos órgãos, convergindo, assim, saberes para introdução do tema educação fiscal na prática pedagógica das escolas e no cotidiano do cidadão paraibano”, escreve o presidente Alexandre José.

Para o presidente da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite), Roberto Kupski, que veio participar do lançamento da etapa estadual em João Pessoa, revelou que a Paraíba será pioneira entre as unidades da federação em lançar um prêmio estadual de educação fiscal. 

“O concurso lançado de forma pioneira entre os Estados do país traz, ainda, uma importância fundamental na atual conjuntura nacional de crises que o país atravessa. É preciso entender que o Estado não existe sem pagamento de tributos, mas precisamos inserir de forma crítica a temática educação fiscal na escola, estimulando assim professores como esse tipo de prêmio para ampliarmos a discussão sobre o acompanhamento da qualidade dos gastos públicos por meio de mecanismos de controle social, como forma de efetivo exercício da cidadania na arrecadação, destino e fiscalização dos recursos públicos oriundo de impostos. A escola pública, nesse sentido, é um locus fundamental de formação de cidadania fiscal”, destacou. 

Além de auditores e dirigentes da Afrafep, estiveram presentes no lançamento do Prêmio de Educação Fiscal, no Espaço Multiuso Auditor Silvio da Silva Tó, no Centro de João Pessoa, a gestora executiva da Escola de Administração Tributária (Esat) da Receita Estadual, Elaine César; o chefe de gabinete da Secretaria de Estado da Receita, Geraldo Leite; o delegado da Receita Federal em João Pessoa, Marialvo Laureano; e o presidente do Conselho Regional de Contabilidade da Paraíba, Garibaldo Dantas.



Fonte: Portal Correio

Centro Cultural de Mangabeira comemora primeiro ano com apresentações para comunidade

O Centro Cultural Tenente Lucena está de parabéns. O equipamento da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) completou 1 ano de atividades no último dia 27 de abril, mas foi na noite dessa sexta-feira (05) que os moradores do bairro comemoraram a data com a realização de várias atividades e apresentações culturais desenvolvidas pelos próprios alunos e professores.

Lúcia França, coordenadora do Centro Cultural, destacou que a população de Mangabeira abraçou o local que já faz parte do cotidiano dos moradores do bairro. “Essa era uma reinvindicação antiga dos moradores de Mangabeira e quando a Prefeitura atendeu esse pleito, realizado através das plenárias do Orçamento Participativo (OP), a comunidade ficou muito satisfeita. É muito gratificante ver a alegria das pessoas com mais essa ação realizada pela atual gestão municipal. O Centro Cultural hoje é uma referência e um polo cultural e esse reconhecimento da população é fruto de muito trabalho do prefeito Luciano Cartaxo. Estamos muito felizes”, comemorou.
A secretária municipal de Educação e Educação, Edilma Ferreira, também prestigiou o evento, ressaltando que o Centro Cultural não só o bairro de Mangabeira, mas toda população de João Pessoa. “Essa é uma noite de festa. O Centro Cultural é um equipamento de grande valor e esse foi um ano intenso com programação constante, já que o local funciona nos três turnos, a partir das 6h da manhã, com várias atividades, inclusive na área esportiva, em parceria com outras secretarias. Essa enorme participação da população é a prova que a comunidade realmente precisa de um local que suprisse essa demanda, portanto, essa conquista não é apenas da gestão, mas sim de todos”, afirmou.
Na noite festiva, o público assistiu apresentações de dança popular dos alunos do próprio Centro, grupo de xaxado, além de uma apresentação musical do grupo ‘Som de Sexta’, que é composto por músicos e professores do Centro. A partir dessa data, os músicos irão se apresentar todas as sextas-feiras, no final do tarde, no local. O evento também contou com uma unidade móvel do Sebo Cultural que disponibilizou livros dos mais variados temas no valor de R$ 5,00.
Para a aluna de dança popular Ivaneide da Silva Lima, 43 anos, a noite foi de muita expectativa, já que o grupo que ela faz parte fez a sua primeira apresentação aberta ao público. “Coração tá batendo forte essa noite. Estamos muito felizes com a construção do Centro Cultural. Um lugar que antes era abandonado, hoje reúne tantas pessoas e promovendo cultura, bem-estar e mudança de vida. Eu sou aluna daqui desde o começo e faço, além da dança, também aulas de aeróbica através do Projeto Vida Saudável”, revelou.
Serviço – O Centro Cultural Tenente Lucena funciona das 6h às 8h da manhã com atividade do programa João Pessoa Vida Saudável. As oficinas culturais acontecem das 9h ao 12h e das 19 às 21h. Durante a tarde, das 13h às 17h, o espaço é para o projeto Ação Social pela Música Brasileira, que ensina música clássica para as crianças da comunidade.


Fonte: ASCOM/PMJP
FacebookWhatsAppTwitter

Psicóloga portuguesa fala sobre práticas de reabilitação em estudantes com TDAH

A psicóloga portuguesa Nora Cavaco virá ao Centro Universitário de João Pessoa –Unipê para realizar um minicurso sobre a “Intervenção Multidisciplinar no Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH”. O minicurso de Nora, que é especialista em neuropsicologia e psicopedagogia, ocorrerá às 18h do dia 11 de maio, no Campus da Instituição. São ofertadas 50 vagas e o investimento é de R$ 80, com certificação aos participantes. As inscrições podem ser feitas no portal unipe.br/curta-duracao.
O minicurso tem como intuito favorecer a aquisição de novas habilidades e práticas de reabilitação e estimulação cognitiva e relacional no contexto institucional de estudantes com hiperatividade, déficit de atenção e suas condutas associadas. O evento é voltado para profissionais e estudantes da Psicopedagogia, Psicologia, Pedagogia, Educação Especial, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional e professores de todas as áreas.

Saiba mais sobre a psicóloga
Nora Cavaco é graduada em Educação Pré-Escolar e licenciada em Psicologia da Educação e Reabilitação pela Universidade do Algarve (Portugal). A psicóloga também é licenciada em Educação de Infância pelo Instituto Superior de Ciências Educativas (Portugal) e é pós-graduada em Neuropsicologia e Demências pela Universidade de Barcelona (Espanha), tendo também título de mestra em Investigação e Intervenção Psicopedagógica pela Universidade de Málaga (Espanha).
Nora também tem mestrado em Psicologia Educacional na Especialidade das Necessidades Educativas Especiais pela Universidade do Algarve e é doutora em Educação Infantil e Familiar, Intervenção e Desenvolvimento Psicopedagógico pela Universidade de Málaga (Homologado em Portugal). A psicóloga ainda é pós-doutoranda da Faculdade de Psiquiatria da Universidade de São Paulo – USP e diretora do curso de Mestrado em Ciências da Educação na Especialidade de Educação Especial no Domínio Cognitivo e Motor na Escola Superior de Educação Almeida Garret (Portugal). Confira mais informações no portal unipe.br/curta-duracao.
Serviço
Intervenção Multidisciplinar no Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH
Professora: Nora Cavaco
Data: 11 de maio | Horário: 18h
Inscrições: unipe.br/curta-duracao | Investimento: R$ 80
Local: Campus do Unipê, em Água Fria, João Pessoa.

Fonte: Portal Unipê

Worshop vai debater depoimento e escuta especializada de crianças vítimas de violência sexual

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai promover, no próximo dia 19, a partir das 14h, um workshop sobre depoimento especial e escuta especializada de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência sexual à luz da Lei 13.431/2017.
O evento que vai acontecer no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça, no Centro de João Pessoa, está sendo organizado pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente e da Educação, pelo Projeto 'Menina Abusada' - também desenvolvido pelo MPPB e demais parceiros -, pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) e pela Rede Margaridas Pró-Crianças e Adolescentes (Remar).
Podem participar do workshop membros, assessores e servidores do MPPB, magistrados, defensores públicos, delegados, conselheiros tutelares e de Direitos, gestores das Secretarias de Saúde, Segurança Pública e Assistência Social e profissionais de serviços de atendimento às crianças e aos adolescentes vítimas de violência sexual. Inscrições e mais informações podem ser obtidas no Ceaf, pelo telefone (83) 3221-0917 e pelo e-mail: ceaf.secretaria@mppb.mp.br.
De acordo com a promotora de Justiça Soraya Escorel, que coordena o Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Criança, o objetivo do workshop é debater o depoimento especial e a escuta especializada em homenagem ao Dia Nacional de enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes, propiciando o aprimoramento do conhecimento sobre a coleta de prova em casos de violência sexual.
Na programação do workshop estão previstas a apresentação sobre a experiência exitosa ocorrida no Rio Grande do Sul, o lançamento do livro 'Menina Abusada' e a entrega formal do convênio existente no estado gaúcho às autoridades participantes para posteriores tratativas.
    

Fonte: ASCOM/MPPB
    
   

Escola Nelson Mandela vira referência na educação em cultura de paz


Não poderia existir melhor nome para definir a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Nelson Mandela, no bairro do Limão, Zona Norte de São Paulo. Um exemplo de educação em cultura de paz, a escola leva consigo os princípios do líder africano, conhecido pela luta contra o racismo e vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1993.

Sob a direção de Cibele Racy, o colégio já recebeu cinco prêmios, frutos de um projeto sobre racismo iniciado em 2011. A iniciativa, que mudou a cara da unidade, foi uma resposta criativa à alteração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, tornando obrigatório o ensino da História e da Cultura Afro-Brasileira na rede escolar.

Mas a forma como a EMEI envolve pais e alunos vai muito além de regras e leis. Basta passar do portão da escola para sentir que há algo especial.

Sala de aula no meio do jardim, redes entre árvores, parquinho na terra, quadra ao ar livre, teatro de arena, cozinha experimental, horta. Criada em 1950, a escola segue o conceito de parque infantil, concebido por Mário de Andrade quando chefiava o Departamento de Cultura da cidade.


No interior da Nelson Mandela, o visitante se depara com quatro bonecos de pano em tamanho real, a família Abayomi. Ela começou a se formar em 2011, no início do projeto, quando Cibele anunciou entre as turmas a chegada de um príncipe.

“Foram três meses de expectativa. Mas quando Azizi chegou, as crianças levaram um susto, porque ele era um boneco negro”, contou a diretora. A reação dos alunos foi o ponto de partida para trabalhar a questão do racismo e promover a cultura de paz.

Daí em diante, a história envolvendo Azizi só cresceu. Ele se casou com Sofia, uma moça branca, e eles tiveram filhos, oportunidade para abordar também a questão de gênero e orientação sexual.

As famílias dos alunos passaram a participar cada vez mais do projeto, e o ambiente da escola mudou. As brigas entre pais, professores e alunos diminuíram, dando lugar à colaboração.

Em 2012, seguindo o projeto anual sobre a África, o colégio recebeu a visita do escritor nigeriano Sunday Ikechukwu Nkeechi, mais conhecido como Sunny. “Em vez da festa junina, fizemos uma festa brasileira. Os pais se sentiram representados. Grande parte da nossa comunidade escolar é negra”, disse a diretora.

Resistência 
O caminho até uma nova escola não foi fácil. Em outubro de 2011, quando as primeiras iniciativas começaram a se espalhar pelo bairro, frases racistas foram pichadas nos muros da unidade de ensino . Mas a tentativa de intimidação acabou dando ainda mais visibilidade à EMEI e, duas semanas depois, um mutirão de crianças cobriu as mensagens de ódio com pinturas de paz.

Com a morte de Nelson Mandela, em 2013, a escola passou a abordar a trajetória do líder. Em junho de 2016, após anos de mobilização, finalmente conseguiu ser rebatizada com o nome dele, e seu rosto hoje estampa a entrada principal. Os tempos de Guia Lopes, líder das tropas brasileiras na Guerra do Paraguai, ficaram para trás.

Futuro

Os desafios da EMEI Nelson Mandela se reciclam a cada ano. Em 2017, a unidade decidiu apostar em classes multisseriadas, ampliando o incentivo à diversidade. “A escola faz uma seriação por idade, mas como é possível aprender a conviver com o diferente se a escola faz questão de segmentar?”, questiona a diretora.

Buscando a inserção de todos, os pais são convidados a participar da formação dos professores, compartilhando conhecimentos.  “Acredito que a escola deve ser aberta, um ponto de cultura e formação geral. Todo mundo entra e participa.”




Fonte: Portal Pró-Menino

Paraíba registra redução de 7,6% dos homicídios no 1º quadrimestre

A atuação das forças de Segurança Pública para a redução de violência na Paraíba continua obtendo êxito e acumula uma redução de 7,6% dos assassinatos em seu território, nos quatro primeiros meses do ano. De acordo com os números apresentados pela Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) ao governador Ricardo Coutinho, durante reunião de monitoramento ocorrida na tarde da última quinta-feira (4), no Palácio da Redenção, de janeiro a abril deste ano, foram contabilizadas 438 ocorrências de homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte, enquanto que no ano passado foram registrados 474 casos em igual período.
Na reunião, que contou com a participação dos gestores dos órgãos de segurança pública e da vice-governadora Lígia Feliciano, o governador Ricardo Coutinho ressaltou o competente trabalho desempenhado pelas forças da Segurança do Estado. “Que o empenho dos homens e mulheres da segurança continue a cada dia. Estamos melhorando os indicadores, graças ao empenho e dedicação das nossas polícias, mas não podemos nos acomodar, temos que buscar sempre melhorar a segurança na Paraíba”, disse.
Por sua vez, o secretário da Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, destacou a integração das polícias como fator principal para se alcançar os objetivos determinados. “Com muito trabalho, força e união estamos conseguindo promover a segurança no nosso estado. O foco maior é a proteção da vida e do patrimônio. Lembrando que só é possível ter bons resultados com a integração das polícias. Juntos vamos superando os obstáculos”, pontuou Cláudio Lima.
O relatório do Núcleo de Análise Criminal e Estatística da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social ainda mostrou que os assassinatos de mulheres também diminuíram no período, sendo contabilizados 27 registros neste primeiro quadrimestre, enquanto no ano passado foram 37 em igual período, representando uma redução de 27%.
Os dados acompanham a tendência de diminuição de crimes contra a vida no Estado, cujos registros saíram de 1680 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em 2011 para 1322 em 2016 e de uma taxa de 44,3 homicídios por 100 mil habitantes para 33,1, sendo a Paraíba o único estado do Brasil a reduzir assassinatos por cinco anos consecutivos.
Ainda segundo os números da Secretaria da Segurança e da Defesa Social, das 21 Áreas Integradas de Segurança Pública distribuídas no Estado, 11 apresentaram redução de homicídios, a exemplo daquelas que abrangem as zonas sul e norte de João Pessoa, Esperança, Santa Rita, Bayeux, Cabedelo, Queimadas, Solânea, Monteiro, Patos e Cajazeiras, entre outras.
Também participaram da reunião de monitoramento o comandante geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, o delegado geral da Polícia Civil, João Alves, e demais representantes da área da segurança.

Fonte: http://paraiba.pb.gov.br

domingo, 29 de janeiro de 2017

Escola de Circo da Funesc abre inscrições para cursos regulares

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) abre, nesta segunda-feira (30), inscrições para a próxima edição dos cursos regulares de artes circenses, que acontecerão na Escola Livre de Circo Djalma Buranhêm, em João Pessoa.
As turmas são divididas por faixas etárias e há opções para crianças, jovens e adultos. Os interessados podem se inscrever até o dia 10 de março. O custo mensal é de R$ 70 para oficinas de artes circenses e R$ 40 para a de palhaço.
Turmas – Sucesso nas edições anteriores do projeto, a turma ‘Circo Baby’ é a opção para crianças na faixa etária de dois a cinco anos. Já a turma ‘Circo em Família’ é para crianças de 6 a 10 anos, acompanhadas de pais ou responsáveis. Para jovens e adultos com idade acima de 15 anos, é oferecida os cursos de ‘Técnicas Circenses’ e ‘Vivência de Palhaço’. Ao todo, são sete turmas, com 20 vagas cada, totalizando 140 vagas oferecidas.
O programa dos cursos inclui técnicas circenses de aéreo e solo para as crianças, técnicas circenses de aéreo, solo e palhaço para os adultos e palhaçaria para a turma de vivência de palhaço.
As turmas da temporada 2017 terão início do período letivo previsto para o mês de março. As matrículas devem ser feitas presencialmente junto à Diretoria de Desenvolvimento Artístico e Cultural (DDAC), do Espaço Cultural José Lins do Rego, em Tambauzinho, das 9h às 12h e das 13h às 16h, de segunda a sexta-feira.
O início das aulas está previsto para o dia 11 de março para as turmas de crianças, 13 para a turma de iniciantes e 14 para a turma de alunos iniciados e vivência de palhaço. Mais informações pelo telefone 3211-6225.
A Escola – Escola Livre de Circo Djalma Buranhêm – Inaugurada dia 19 de março de 2016, tem o intuito de formar não apenas para o picadeiro; mas também para a atuação profissional nos mais diferentes setores e segmentos culturais, diversificando as necessidades e demandas que a escola precisa atender.
Faz parte fundamental do projeto político pedagógico da Escola Livre de Circo formar cidadãos na perspectiva de contribuir na ampliação de sua visão cultural, que lhes permitam empregar livre e conscientemente seu senso crítico e sua criatividade em relação aos mais diversos campos da produção cultural e suas transformações.
O coordenador de Circo da Funesc, Diocélio Barbosa, enfatiza que a procura pelo curso está aumentando cada vez mais. “Graças ao sucesso dos dois anos de atividades circenses, em que formamos diversos alunos na aérea, tivemos que abrir novas turmas com a finalidade de potencializar o aprendizado e atender a demanda. O curso tem o objetivo de proporcionar um contato lúdico com o universo mágico do circo, disseminando os seus saberes e, assim, fortalecendo a formação circense no Estado”, disse ele.
Serviço:
Inscrições para o curso regular Artes Circenses
Inscrições: até 10 de março
Início das aulas: 11 de março
Total de vagas: 20 por turma (são sete turmas)
Preço: R$ 70 (técnicas circenses) e R$ 40 (vivência de palhaço)
Local: Escola Livre de Circo Djalma Buranhêm
Inscrições: Diretoria de Desenvolvimento Artístico e Cultural (DDAC), do Espaço Cultural José Lins do Rego, em Tambauzinho, das 9h às 12h e das 13h às 16h30, de segunda à sexta-feira
Informações: 3211-6225

Horários e ministrantes:
(Circo Baby – 2 a 5 anos – 8h às 9h40) – Sábados
Ministrante: Irla Medeiros e Daniel Nóbrega
Duração: 3 meses | Início: 11 de março
Local: Escola de Livre de Circo Djalma Buranhêm

(Circo em Família – 5 a 10 anos – 9h40 às 11h20) – Sábados
Ministrante: Marinalva Rodrigues e Edy Santos
Duração: 3 meses | Início: 11 de março
Local: Escola de Livre de Circo Djalma Buranhêm

(Circo em Família – 5 a 10 anos – 14h às 15h40) – Sábados
Ministrante: Kleber Marone e Giovanna Lima
Duração: 3 meses | Início: 11 de março
Local: Escola de Livre de Circo Djalma Buranhêm

(Circo Baby – 2 a 5 anos – 15h40 às 17h20) – Sábados
Ministrante: Naylane Cavalcanti e Robertânia Barros
Duração: 3 meses | Início: 11 de março
Local: Escola de Livre de Circo Djalma Buranhêm

(Vivência de Palhaço – a partir dos 15 anos – 19h às 21h) – Terças e Quintas
Ministrante: Dada Venceslau e Diocélio Barbosa
Pré-requisitos: Iniciantes | Duração: 3 meses | Início: 14 de março
Local: Sala 05

(Técnicas Circenses – a partir dos 15 anos – 19h às 21h) – Segundas e Quartas
Ministrante: Josemberg Pereira
Pré-requisitos: Iniciantes | Duração: 9 meses | Início: 13 de março
Local: Escola de Livre de Circo Djalma Buranhêm

(Técnicas Circenses – a partir dos 15 anos – 19h às 21h) – Terças e Quintas
Ministrante: Ulisses Nogueira
Pré-requisitos: Iniciados | Duração: 9 meses | Início: 14 de março
Local: Escola de Livre de Circo Djalma Buranhêm

Fonte: http://paraiba.pb.gov.br/